Rede Mídia de Comunicação | Rede Sem Fronteiras

Você está em: Início > Notícias > Geral > Entrevista com Ricardo Cravo Albin, candidato ao Prêmio Rio – UBE RJ 2017

Entrevista com Ricardo Cravo Albin, candidato ao Prêmio Rio – UBE RJ 2017

Geral por Sandra Hasmann em 2017-07-10 23:01:48
*Por Dyandreia Valverde Portugal


Antes de mais nada, mais uma vez, gostaria de deixar registrado os meus mais sinceros parabéns aos três candidatos: Marina Gutman Tostas Paranhos, Ricardo Cravo Albin e Tânia Zagury, por terem sido escolhidos, entre tantos nomes de peso em nosso meio cultural, para essa eleição popular. Suas carreiras são motivo de exemplo e orgulho para todos nós.

Seus respectivos e consistentes currículos já foram amplamente divulgados entre nossos leitores. Contudo, devido à disputa acirradíssima, e, visando apresentar um pouco mais de suas ideias e pensamentos ao público votante, convidei-os para responderem 7 perguntas, que serão publicadas no Portal Sem Fronteiras e divulgadas em todas as redes de relacionamento, objetivando, desta forma, colaborar para a escolha final daqueles que ainda não escolheram seu candidato. Posteriormente, publicaremos a entrevista do vencedor no Jornal Impresso Sem Fronteiras.

Abaixo, segue a primeira das três entrevistas, respondidas na oportunidade por, Ricardo Cravo Albin.

Agradeço a gentil colaboração dos candidatos e desejo sucesso a todos os três, que, na verdade, já são grandes vencedores e merecedores de todo o destaque que lhes são atribuídos.

ENTREVISTA:

SF– Qual - ou quem - é a sua inspiração para a escolha e a realização de seu trabalho?

RCA – Minha inspiração permanente de todo meu intenso trabalho que já persiste por mais de 50 anos (desde que organizei e dei a linha básica do MiS) é resgatar e celebrar os personagens que valem a pena e não são nunca lembrados. Ou seja, lutar contra a falta de memória e não deixá-la escorrer pelo ralo.

SF- Qual projeto você considera a conquista mais significativa na sua carreira, até agora? Explique o motivo de sua escolha.

RCA – Creio ter sido o criar a régua e o compasso para definir o que seria o Museu da IMAGEM E DO SOM. Aos 25 anos inventei o depoimento para a posteridade e colhi mais de duzentas histórias de brasileiros de fundamental importância. De lá para cá, jamais tive um mês inteiro de férias, trabalhando sempre naquilo em que acredito. E escrevendo livros e ensaios. 

SF- Se tivesse que começar sua carreira agora, com todas as dificuldades que o Brasil enfrenta atualmente, mudaria alguma coisa?

RCA – Não mudaria um x. Por uma cândida razão. Tudo o que fiz em minha ação sempre intensa de realizações sempre foi com dinheiros mínimos e trabalhos máximos. Portanto estou acostumadissimo a enfrentar dificuldades.

SF- O que ainda espera realizar em sua carreira e por quê?

RCA - Espero desenvolver ainda mais, com imaginação e solidariedades, minhas duas atuais paixões. E que são a Academia Carioca de Letras e o Instituto Cravo Albin. Creiam que de fato acredito na crepitação de chamas rejuvenescedoras quando se ateiam as fogueiras da imaginação e do trabalho. Mesmo com recursos mínimos.

SF- O advento da internet criou uma nova era e gerou uma infinidade de novos paradigmas. Como você enxerga essa evolução digital e sua influência nos aspectos artísticos e criativos?

RCA – Com certos cuidados. O uso radical de uma revolução de paradigmas pode provocar efeitos surpreendentes. Para o bem ou para o mal. Sempre pautei minha vida pela frase que apreendi de meu Mestre na Nacional de Direito Santiago Dantas: in medio veritas. 

SF- A campanha para a escolha e a votação do candidato ao Prêmio Rio UBE RJ 2017, está, basicamente, sendo feita pela internet. Qual sua visão sobre a popularização da cultura através das redes sociais?

RCA – Certamente que o imediatismo e as facilidades de respostas pelas redes sociais surtem um efeito muitíssimo positivo. Como eu sou de uma geração anterior, ainda me sinto embriagado pela comparação do antes e do depois. Quando evoco os telegramas, o correio, os mensageiros, reflito muitíssimo E o tempo demorado, ah os retardamentos e a imprevisibilidade da chegada das mensagens escritas ... 

SF- Qual a importância desse prêmio na sua carreira?

RCA – Considero importante este prêmio na minha carreira por dois motivos. Primeiro, porque, quando representam estímulos de verdade e de afeto , as homenagens-prêmios serão sempre necessárias e bem vindas. Até porquê fazem remexer e robustecer um grupo uniforme e singular como nossa comunidade literária. Que sempre luta com dificuldades e ausências oficiais. Portanto, é estratégico e redentor afiar as facas e fazer. Fazer sempre, fazer com amor, fazer com o que nada custa e que é, e sempre será, o tônico essencial, o da imaginação. 


Fotos: Acervo Rede Sem Fronteiras e Divulgação/internet


*NOTA DA UBE:

A UBE-RJ, ao organizar evento cultural como o TROFEU RIO UBE RJ 2017, realiza pesquisa de opinião de escritores de todo o Brasil, através da mídia – internet e endereço de e-mail, e espera um retorno de 700 e-mails, tendo a preocupação de suscitar o interesse do público, em conhecer e relembrar escritores contemporâneos de diferentes locais, estilos de atuação e produção literária, além de divulgar a UBE-RJ e seus múltiplos projetos que contribuem para destacar a entidade no cenário cultural brasileiro.

O TROFÉU RIO da União Brasileira de Escritores - RJ é anual e acontece desde 2003. É ofertado à intelectual ou entidade que tenha ativa participação na cultura brasileira. 

ESCOLHA SEU VOTO!!

Envie, até dia 20 de julho, para ubetrofeurio2017@gmail.com

Visite também o nosso site e conheça nosso trabalho. Junte-se a nós!

https://uberio.wixsite.com/2017

Deixe seu comentário, ele é muito importante para nós

* Seus dados não serão exibidos a terceiros.

Publicidade

Veja também