Rede Mídia de Comunicação | Rede Sem Fronteiras

Você está em: Início > Notícias > Eventos > Lima Barreto será tema da palestra do professor Felipe Botelho Corrêa, sob coordenação da Acadêmica Ana Maria Machado, ABL.

Lima Barreto será tema da palestra do professor Felipe Botelho Corrêa, sob coordenação da Acadêmica Ana Maria Machado, ABL.

Eventos por Alberto Araújo em 2017-07-12 21:49:50

A Academia Brasileira de Letras dá prosseguimento ao seu ciclo de conferências do mês de julho de 2017, intitulado Cadeira 41, com palestra do professor e pesquisador Felipe Botelho Corrêa. A coordenação será da Acadêmica e escritora Ana Maria Machado. O tema escolhido foi Lima Barreto em revista.

Serão fornecidos certificados de frequência.

A intitulação Cadeira 41 remonta aos tempos de fundação da ABL, em 20 de julho de 1897. Criada nos mesmos moldes da Academia Francesa, o máximo de Acadêmicos era de 40, o que continua até os dias de hoje. Este ciclo, no entanto, pretende apresentar quatro nomes que poderiam ocupar, em suas épocas, uma dessas cadeiras e, que, por razões diferentes e individuais, não se tornaram membro da Academia: Júlia Lopes de Almeida (primeira semana), Lúcio Cardoso (semana anterior), Lima Barreto (palestra da próxima terça-feira) e Clarice Lispector (encerrando o ciclo, no dia 25, com a professora de Literatura Nádia Battella Gotlib).

A Acadêmica Ana Maria Machado, Primeira-Secretária da ABL, é, também, a Coordenadora-Geral dos ciclos de conferências de 2017. O evento está programado para terça-feira, dia 18 de julho, às 17h30min, no Teatro R. Magalhães Jr., Avenida Presidente Wilson 203, Castelo, Rio de Janeiro. Entrada franca.

O palestrante, segundo adiantou, fará uma breve revisão do projeto intelectual de Lima Barreto de produzir uma literatura militante, relacionando esse projeto às inúmeras colaborações que o escritor carioca escreveu para a imprensa, muitas vezes assinando seus textos com pseudônimos. O foco da conferência será o conjunto de textos publicados nas revistas populares ilustradas de grande circulação nacional que surgiram no começo do século XX, tais como Careta, Fon-Fon e O malho.

Saiba mais

Felipe Botelho Corrêa é professor e pesquisador do quadro permanente do Instituto de Estudos Brasileiros e do Departamento de Estudos Hispânicos e Lusófonos da universidade King’s College London, onde orienta pesquisas de doutorado e dá aulas de graduação e pós-graduação em literaturas e culturas brasileira e luso-africanas.

Concluiu seu doutoramento também no Reino Unido, na Universidade de Oxford, onde ganhou três prestigiosos prêmios por mérito (Clarendon Award, Magellan Prize e Wolfson Award). Seus trabalhos de pesquisa giram em torno da história da imprensa, dos meios de comunicação e da interface entre literatura e jornalismo no Brasil.

Além de colaborações na imprensa e em revistas acadêmicas, Felipe Botelho Corrêa publicou os livros Imaginário do medo: imprensa e violência urbana (2009); e Lima Barreto. Sátiras e outras subversões (2016), uma edição da Penguin-Companhia das Letras que revelou pela primeira vez ao público 164 textos inéditos que Lima Barreto escrevera usando pseudônimos. O livro foi eleito um dos dez melhores do ano pelo jornal O Globo, em 2016, e foi um dos quatro finalistas do Prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte na categoria Grande Prêmio da Crítica. Seu mais recente livro é um ensaio sobre a literatura militante de Lima Barreto, que será publicado em 2017, editado pela E-Galáxia, acompanhado de textos do escritor carioca sobre o tema.

Deixe seu comentário, ele é muito importante para nós

* Seus dados não serão exibidos a terceiros.

Publicidade

Veja também

Publicidade